Mais baratas do que as MetaSpeed Sky, são uma opção bastante interessante para quem quer umas sapatilhas rápidas (com placa de fibra de carbono) sem ter de gastar rios de dinheiro

MetaRacer. MetaSpeed Sky (e Edge). Magic Speed. Tão diferentes, mas ao mesmo tempo tão iguais. Em comum têm a placa de fibra de carbono na meia sola, ainda que com características bem distintas, mas também são a prova de que a ASICS, como dizem os brasileiros, não está de brincadeira! A marca japonesa não só seguiu a tendência cada vez mais crescente do mercado, que pede resultados e velocidade, como também decidiu dar opções para todos os gostos. As Magic Speed são a opção intermédia nesse campeonato. Mais acessíveis, menos apetrechadas, mas igualmente muito bem sucedidas no que ao seu propósito diz respeito.

Se as MetaRacer e as MetaSpeed Sky são feitas para o dia da prova, pensadas idealmente apenas para os esforços mais intensos e a velocidades mais elevadas, as Magic Speed permitem fazer de tudo um pouco, ainda que tenham o seu ponto de rebuçado quando os treinos envolvem velocidade. Não, não são umas sapatilhas que devam ser usadas em treinos de recuperação, mas são certamente uma fantástica opção para os treinos de meio da semana quando temos de envolver alguma velocidade a meio de alguns períodos mais calmos. Treinos de ritmo, fartlek, intervalados... é escolher! E, claro, são uma excelente opção para treinos longos com algum ritmo. Aí, para quem já tem as MetaSpeed, são a escolha perfeita para poupar a sola das bem mais frágeis máquinas de competição.

A placa de fibra de carbono, ao contrário do que temos nas MetaSpeed Sky e Edge, não é a todo comprimento da meia-sola - está na parte média para a frente - e, por isso, o preço também é mais baixo em relação a esses dois modelos topo de gama. Também não temos aquela sensação das chamadas 'super sapatilhas', com um retorno de energia brutal, mas isso não tira brilho e magia (lá está o nome...) a este modelo. Falando de forma clara, as Magic Speed são uma versão low cost para quem quer ter um modelo com placa de fibra de carbono, que quer ter um pouco de auxílio na hora de meter velocidade, sem querer gastar rios de dinheiro. E por rios de dinheiro falo em menos 90€ do que o valor que investiriam nas MetaSpeed Sky. As diferenças são grandes entre ambas e justificam a enorme disparidade nos preços. Mas como nem todos queremos um modelo topo de gama, estas Magic Speed são efetivamente perfeitas por darem uma segunda opção a esse público.

'Blast from the past'

Munidas da espuma de meia-sola FlyteFoam Blast, utilizada pela primeira vez nas NovaBlast e que vem sendo introduzida em praticamente todos os modelos desde então, as Magic Speed não são tão 'saltitantes' como outras com a mesma espuma, mas a verdade é que a placa de fibra de carbono e o formato Guidesole acabam por compensar ligeiramente essa ausência de responsividade imediata, fazendo com que com o aumentar da velocidade passemos a sentir cada vez mais a tendência para sermos quase que obrigados a correr mais rápido. A tal espuma FlyteFoam Blast oferece também um pouco de amortecimento extra para podermos suportar também treinos algo mais longos, sem que em algum momento coloquemos em causa a nossa integridade enquanto corredores.

Com um drop de 5mm (29mm/24mm), as Magic Speed assemelham-se na sensação de contacto com o solo mais com as MetaRacer do que com as MetaSpeed Sky, algo que se explica essencialmente pelo facto de serem mais baixas a nível de altura de meia sola. Isso, ainda assim, não compromete em nada a proteção, até porque a FF Blast faz também a sua magia nesse particular. São, tal como as MetaRacer um modelo efetivamente com aquela sensação de 'racing flat' à antiga, o que é ainda bastante apreciado por muitos corredores atuais.

Na sensação de corrida, mesmo tendo a FlyteFoam Blast, que ao primeiro contacto me pareceu algum propícia a instabilidade, as Magic Speed são bastante seguras e raramente nos fogem de mão. Muito por culpa da presença da placa de fibra de carbono, que dá um extra de rigidez que de certa forma 'bloqueia' a possibilidade de haver um retorno excessivo da energia.

Zona superior 'poupadinha' mas eficaz

A zona superior segue a tendência de cores recente nestes modelos rápidos, com a aposta num vermelho inspirado na tradição japonesa (em ano de Jogos Olímpicos em 'casa' tinha mesmo de ser), apresentando-se bastante respirável e com uma construção da malha que acaba por oferecer uma adaptabilidade quase instantânea ao nosso pé. A construção é simples, até parece algo desleixada pela presença de costuras soltas e algum tecido 'perdido', mas é apenas aparência... Até porque este esquema de cores, com um degradê de vermelho vivo para um negro na zona traseira, está mais do que bem conseguido na minha opinião.

O material utilizado na zona superior é bastante fino (daí a respirabilidade e também leveza do modelo), mas isso não compromete, de forma alguma, o conforto quando as temos calçadas. Aliás, um dos pontos mais interessantes acaba por ser a zona do calcanhar, que por dentro conta com um pequeno enchimento de espuma que visa precisamente dar um conforto adicional para impedir problemas de maior numa zona sempre sensível. Não tem um contraforte nesta zona reforçado, o que pode ser algo problemático para quem gosta de ter um suporte extra, mas no meu caso não senti qualquer dificuldade em adaptar-me a esta construção.

A língua é fina, seguindo a lógica de poupança de peso para um modelo capaz de render em provas, tal como os cordões, que mesmo algo mais 'construídos' são inspirados no que vemos nas MetaSpeed.

Goleada às MetaSpeed na resistência da sola

E se as Magic Speed perdem para o modelo topo de gama em praticamente tudo - retorno de energia, qualidade dos materiais, comprimento da placa de fibra de carbono e a sua resposta, etc. - , a verdade é que na questão da durabilidade... dão goleada. Tudo porque a borracha de meia-sola é claramente mais resistente e também ocupa um maior espaço na zona inferior. Isso faz com que o desgaste seja menor ao uso, até porque são bem menores as superfíceis sem proteção ao contacto com o solo. Uma durabilidade que anda de mão dada com a aderência ao piso, já que esta borracha AHAR faz aquilo que se espera num modelo pensado para correr rápido: agarra bastante bem em todas as superfícies, mesmo com piso algo molhado. 

MAGIC SPEED™

As sapatilhas MAGIC SPEED™ foram concebidas para corridas de competição ou corridas de treino regular. Oferecem a versatilid...

Comprar agora

escrito por
portrait

Fábio Lima

Jornalista de Lisboa



Treinador: Tiago Silva

Minhas modalidade
Treinamento Funcional Meia Maratona Maratona 10km

Mais análises