De regresso a Cinfães a convite da empresa One Hundred, desta vez o desafio era muito fora da minha zona de conforto.

Quem me conhece sabe que nunca, mas nunca viro as costas a novos desafios, a boas aventuras, novas experiências desportivas, para além disso esta seria mais uma oportunidade para estar junto a um lote de atletas que muito admiro.
Foi no dia 09 de outubro que recebo o convite, aceito de imediato, tal como todos os atletas envolvidos foi pouco tempo de preparação, mas assim estaríamos todos em pé de igualdade.

Considero que existiu aqui muitas particularidades em relação a todas as organizações de provas que já participei, diria mesmo que para nós atletas roçou a perfeição.

Primeiro de tudo a forma como comunicam com os atletas, tinham todo um programa focado e direcionado ao atleta, posso dizer que já tive em algumas provas como VIP, mas aqui a sensação foi que além de ter essa sensação fomos tratados todos em pé de igualdade, eu pelo menos senti isso, nós (atletas) eramos o foco do evento, sendo que é assim que deve ser sempre!

O importante de uma prova de atletismo não é só os bastidores e tudo em torno do evento, claro que importa, mas o fundamental tem de estar focado nos atletas, sem atletas nada é possível ser feito, é tal como um casamento, os noivos são a principal atração.

Para o dia da prova recebemos por email todo um protocolo que nós atletas tinhamos que cumprir, penso que na generalidade foi cumprido, acho que como não estamos muito habituados a este tipo de tratamento, relaxámos um pouco, contribuindo depois para um protocolo atrasado no tempo, mesmo assim o organizador conseguiu mitigar, e muito bem, esses atrasos.

Entrámos no auditório de Cinfães, recebemos um kit num saco de uma conceituada marca em nutrição desportiva, um dorsal personalizado, fruta, barra, gel, água, um transponder, outro saco que ia ser levado para a base de vida com um autocolante que tinha o nosso nome, ou seja, pequenos mas grandes pormenores, que fazem toda a diferença.

Poucos minutos depois tínhamos uma sessão fotográfica individual num local estrategicamente colocado.

No alinhamento tinhamos entrevistas rápidas pré-race, o que não foi cumprido, apenas e só por falta da nossa pontualidade. Falta-nos essa responsabilidade!

Claro que neste tipo de eventos, direcionado a futuro atletas profissionais este protocolo terá que ser rigidamente cumprido, tal como acontece noutros desportos já profissionalizados.

Seguimos para dentro do auditório onde cada atleta tinha um lugar identificado com o seu nome, cumprindo todas as recomendações da DGS. De seguida foi feito uma pequena reunião técnica e nesse seguimento fizeram a entrega dos prémios para os três primeiros atletas que realizaram o FKT, foi uma surpresa e um bonito gesto.

Pouco depois estávamos a alinhar na partida os 23 atletas, primeiro as senhoras com partidas intercaladas de 30 em 30 segundos.

Falando um pouco da minha competição, parti com a consciência que dificilmente faria um bom tempo, o nível além ter sido elevadíssimo sabia que não era de todo a minha praia, sei que sou combativo e adoro competir, mas fui mais num âmbito de me divertir. Mas não escondo que tentei dar o que podia dentro das minhas limitações. Foi uma subida pouco técnica, em alguns pontos tinha inclinações bem acentuadas, percurso muito bem marcado, apenas achei que a cor das fitas podia ser outra, confundia-se em alguns momentos com a vegetação verde. Sempre com policiamento nos pontos mais críticos e voluntários nos locais mais duvidosos.

No final da subida a chuva, o frio, o nevoeiro e o vento fizeram-se sentir. Chegando á base de vida tínhamos 30 minutos para gerir a recuperação, dentro desse período tínhamos que sair e fazer a descida o mais rápido possível. O percurso era maioritariamente idêntico á da subida”. Tive pouco tempo na base de vida, impossível estar muito tempo devido ás condições meteorológicas, foi descansar o mínimo necessário, rodar e siga por aí a baixo “a todo o vapor”.

Usei os ASICS Fujitrabuco 8, estou a ficar mega fã deste modelo, confesso que antes tinha um “flirt” por outra marca, mas os trabuco estão-me a dar toda a segurança, conforto, estabilidade e velocidade. Em termos de roupa, usei a tshirt FUTURE TOKYO CAMO SS TOP e calções do mesmo modelo, tem um toque diferente do que já usei até aqui, não ensopam, não tem costuras, o que em competição é muito importante, secam muito rapidamente, confortáveis em todos os movimentos, além ser muito bonito.

FUTURE CAMO SS TOP

A FUTURE TOKYO CAMO SS TOP foi concebida com um design de gola redonda e um padrão de pontos sem costura. Além disso, esta c...

COMPRE AGORA

Terminado a prova a organização não despachou os atletas, nada disso, bem pelo contrário, deu tempo para tomarem banho e almoçarem. Posteriormente fomos contactados por email e por telefone para informar a hora da cerimónia de entrega de prémios ajustando o protocolo com entrevistas individuais, tudo isto foi disponibilizado em Broadcast Live para todo o mundo. Sei que nem tudo aqui correu bem, mas tudo isto serviu precisamente para testar ara que em eventos futuros tudo corra bem.

Uma vez mais foi um privilégio e um luxo ser um dos pioneiros de uma marca que vai fazer a diferença no mundo do trail.

Costumo dizer que uma empresa só tem valor quando os seus colaboradores e são clientes são os seus maiores embaixadores.

Deste brilhante evento saíram 23 embaixadores, disso tenho a certeza!

Se o João Andrade pretendia uma festa de Mount Trail, foi totalmente conseguido e com grande sucesso, venha a próximo evento!

escrito por
portrait

Nuno Rocha

Terapeuta / Massagista de Lisboa

Faixa Etária: 40-45

Treinador: Tiago Aragão

Minhas modalidade
Ultra Maratona de Montanha Yoga / Pilates Ultra Maratona Corrida de Montanha 10km

Mais blogues